Americanos doam hospital de campanha pro Maranhão e dino avança com medidas contra a covid 19.

Compartilhe nossas notícias

Em cerimônia virtual simbólica realizada nesta terça-feira (9), foi inaugurado o Hospital de Campanha de Bacabal, unidade destinada para tratamento de pacientes com a Covid-19. A estrutura hospitalar foi doada pelo governo dos Estados Unidos ao Maranhão para ajudar no combate à pandemia.

Participaram da cerimônia o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman e a cônsul-geral dos EUA no Recife, Jessica Simon.

Ao todo, foram investidos R$ 1,5 milhão na construção do hospital. Entretanto, a unidade só deve começar a funcionar a partir da próxima semana. Segundo o governo do Maranhão, a demora acontece por conta da finalização na montagem dos equipamentos hospitalares e da contratação da equipe de saúde que vai atuar no local.

O hospital está localizado no município que fica a 250 km de São Luís. A unidade conta com 40 leitos, geradores de energia, quatro ventiladores e tem estrutura semelhante as que foram implementadas nos EUA. A cidade foi escolhida pelo Governo do Maranhão, já que por conta da sua localização, poderá dar apoio a mais de 14 municípios próximos a Bacabal.

Ao todo, Hospital de Campanha instalado em Bacabal (MA) possui 40 leitos para pacientes com Covid-19. — Foto: Divulgação/Governo do Maranhão

Ao todo, Hospital de Campanha instalado em Bacabal (MA) possui 40 leitos para pacientes com Covid-19. — Foto: Divulgação/Governo do Maranhão

O governador Flávio Dino explicou que a unidade deve complementar os atendimentos de saúde na região, oferecendo o primeiro atendimento para casos de Covid e testagem. Ele explicou que os casos mais graves da doença, vão continuar sendo encaminhados para o Hospital Macrorregional Laura Vasconcelos, também localizado no município.

“Bacabal é uma cidade historicamente importante no estado, tem uma área de influência que atinge cerca de 20 municípios que recorrem a ela em busca de serviços públicos. Por isso, o hospital de campanha é importante e vai se complementar com os serviços oferecidos na cidade. Ele será uma porta aberta para o primeiro atendimento, testagem e dependendo da classificação de risco, o paciente fica no hospital ou vai pro Macrorregional. Tenho certeza que ele terá um largo uso para muitos anos”, disse Dino.

Na segunda-feira, uma delegação do Departamento de Defesa dos Estados Unidos esteve em Bacabal para treinar a equipe de Defesa Civil do estado no gerenciamento do uso do material do hospital. Segundo o governo norte-americano, a ideia é que após a pandemia, o hospital fique a disposição para atender à população da região.

Além disso, o governo norte-americano também vai doar ao Maranhão material de limpeza, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), macas, aparelhos de ar-condicionado e gerador de energia.

Doação

Após a pandemia, o hospital deve ficar a disposição para atender à população da região de Bacabal (MA) — Foto: Divulgação/Governo do Maranhão

Após a pandemia, o hospital deve ficar a disposição para atender à população da região de Bacabal (MA) — Foto: Divulgação/Governo do Maranhão

doação aconteceu em julho do ano passado, após um ofício enviado pelo cônsul-geral dos Estados Unidos, John M. Barrett, ao secretário estadual da Indústria, Comércio e Energia do Maranhão, Simplício Araújo.

Reforço

A inauguração dos novos leitos em Bacabal deve reforçar a quantidade de leitos para pacientes com Covid-19 existentes no estado, que nos últimos dias, tem registrado altas taxas de ocupação.

No boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) na segunda-feira (9), a Grande Ilha (São LuísSão José de RibamarPaço do Lumiar e Raposa) chegou a 83,33% de ocupação dos leitos de UTI para Covid. Já os leitos clínicos, a taxa de ocupação é de 67,03%.

Em Imperatriz, segunda maior cidade do estado, a taxa de ocupação de leitos de UTI chegou a 93,75%, acendendo um alerta para o aumento no número de internações causadas por complicações do novo coronavírus.

Em outras regiões do estado, a ocupação chegou 52,03% para leitos de UTI e 19,83% em relação aos leitos clínicos.nullCOMENTÁRIOS


Compartilhe nossas notícias