Apenas 11% dos brasileiros tomaram até o momento a primeira dose da vacina contra covid .

Compartilhe nossas notícias

O ministério de Relações Exteriores anunciou nesta segunda-feira (12) que o Brasil receberá 842.400 doses da vacina da Pfizer contra a covid-19 em junho deste ano, em uma remessa do Covax Facility, consórcio internacional para distribuição de vacinas.

O Ministério da Saúde tem 42,5 milhões de doses de vacinas contratadas com o consórcio. Destas, mais de um milhão de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford fora entregues por meio da iniciativa. As outras serão entregues a depender da definição da OMS (Organização Mundial da Saúde), que já é pressionada por estados brasileiros para agilizar sua entrega no Brasil. 

https://169d68010d9a5761816b6e0a89c3265c.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Fiocruz deve entregar mais 5 milhões de vacinas nesta semana
Estados pedem ajuda à OMS por vacinas e criticam distribuição
Ministro pede a Pfizer antecipação de 50 milhões de doses de vacina
VEJA TAMBÉM

Também nesta segunda, os presidentes do Senado e da Câmara Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Arthur Lira (PP-AL), reforçaram o pedido à OMS para priorizar o Brasil nas entregas do consórcio, considerando a “situação dramática”, nas palavras de Pacheco, da pandemia no país. 

As 842.400 doses da Pfizer não fazem parte das 100 milhões já contratadas pelo ministério da Saúde, que devem ser entregues em duas remessas, de acordo com a última atualização do cronograma da pasta: 13,5 milhões até maio deste ano, seguidas de outras 86,4 milhões de doses entregues em agosto.

Assim como o Covax Facility, a Pfizer também já recebeu pedidos de autoridades brasileiras para  antecipar a entrega dos produtos. No final de março, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pediu que a farmacêutica disponibilize, “em curto prazo”, 50 milhões das vacinas encomendadas pelo governo. 

“Precisamos ampliar a nossa capacidade vacinal agora. Convido vocês para fazermos esforços conjuntos para garantir essas vacinas o quanto antes”, apelou o ministro.https://noticias.r7.com/saude/coronavirus/mapa-da-vacinacao/


Compartilhe nossas notícias